Biombo Escuro

25ª Mostra de Tiradentes

Azulscuro

por Alberto A. Mauad

29/01/2022; Foto: Divulgação

Desktop Horror e Found Footage integrados nas possibilidades do exercício de gênero

AzulScuro (Evandro Caixeta e João Gilberto, 2021) é, com certeza, um dos exercícios de gêneros mais interessantes que saiu da recente leva de “filmes de quarentena”. Fugindo totalmente dessa onda mais contemplativa ou crítica que muitas dessas obras tentam impor. 

A dupla nova de cineastas consegue se apropriar demasiadamente de diversos clichês do terror, o que abre uma série de possibilidades ao seu próprio cinema. Tudo isso mesclado com o seu método excêntrico do Found Footage com o Desktop horror. Assim, acaba que esse artifício é plenamente integrado com a experiência audiovisual.

A cena final é o maior exemplo dessa catarse, se tornando progressivamente um meio experimental que funde essa questão rede social e vida real. É uma pena que o curta inteiro não tente arriscar tanto quanto a última sequência. Mas, de qualquer forma, é realmente cada vez mais escasso encontrar películas brasileiras tão criativas e imersas no estilo quanto essa, sem nenhuma pretensão de exercer algum tipo de argumento social superficial ou até algo mais pseudocult e contemplativo mesmo.


    Alberto A. Mauad

    Redator

    Estudante de cinema na PUC-Rio, redator do Biombo Escuro e cineasta. Tem interesse pelas áreas de linguagem, história e autorismo cinematográfico.